Modelo Experimental de Corrupção efeitos da magnitude e da probabilidade de punição em humanos

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Patrícia Luque Carreiro
Jorge Mendes Oliveira-Castro

Resumo

O estudo propôs um modelo experimental da corrupção, para investigar o efeito da magnitude e da probabilidade da punição, em situação experimental. O experimento simulou o ato corrupto típico, em um jogo com estudantes universitários e foi dividido em duas fases, com uma sessão cada uma, também para avaliar o efeito da exposição à contingência de punição. O participante deveria escolher entre duas alternativas: uma com reforçadores de menor magnitude sem punição associada, e outra com reforçadores de maior magnitude, com punição manipulada em sete condições experimentais. Os achados permitem concluir que houve inicialmente redução maior do comportamento indesejável com a magnitude da pena, porém, após contato prolongado com a contingência, e melhor discriminação das probabilidades em vigor, observou-se efeito crescente da probabilidade. Houve efeito de ordem das condições apresentadas com recuperação das respostas nos grupos em que a punição foi aplicada de forma decrescente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Luque Carreiro, P., & Oliveira-Castro, J. M. (2021). Modelo Experimental de Corrupção: efeitos da magnitude e da probabilidade de punição em humanos. Revista Brasileira De Terapia Comportamental E Cognitiva, 23(1), 1-21. https://doi.org/10.31505/rbtcc.v23i1.1508
Seção
Seção Especial: Análise do Comp., Teoria dos Jogos e Economia Comportamental
Biografia do Autor

Jorge Mendes Oliveira-Castro, Universidade de Brasília

Possui graduação em Psicologia pela Universidade de Brasília (Bacharel em 1981 e Psicólogo em 1983), mestrado em Psicologia pela Universidade de Brasília (1984), doutorado em Experimental Psychology - Auburn University (1989), e pós-doutorado em Comportamento do Consumidor pela Cardiff University (2002-2003 e 2006-2007). Professor da Universidade de Brasília desde 1989, com interesse de pesquisa sobre questões conceituais em psicologia, processos de aprendizagem, economia comportamental e comportamento do consumidor. Tem desenvolvido pesquisas sobre processos básicos de aprendizagem, incluindo investigações sobre os efeitos de complexidade de tarefas sobre diminuição de comportamentos precorrentes. Tem também aplicado princípios derivados de teorias de aprendizagem e economia comportamental para interpretar e investigar o comportamento do consumidor, incluindo pesquisas sobre o comportamento de procura por produtos, marcas e lojas, e pesquisas sobre comportamento de escolha de marcas. Tem aplicado conceitos e métodos derivados da economia comportamental para interpretar e investigar comportamentos relacionados às leis.