Behaviorismo Radical e Paternalismo Libertário Uma Análise Epistemológica Comparativa

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Tiago de Oliveira Magalhães

Resumo

Tanto behavioristas radicais quando paternalistas libertários propõem que o conhecimento científico sobre o comportamento humano seja utilizado para modificar práticas culturais. Contudo, a ideia de planejamento cultural de Skinner não obteve o mesmo sucesso que os nudges de Thaler e Sustein alcançaram nos últimos anos. O objetivo desse artigo é realizar uma comparação dessas duas propostas, tendo em vista, principalmente, as concepções epistemológicas a elas subjacentes. Uma das principais diferenças observadas diz respeito ao modo como os autores concebem as relações entre pesquisa básica e aplicação. Esse fator parece ser relevante para explicar os diferentes níveis de impacto social obtidos por cada proposta, mas não são suficientes. É necessário levar em consideração, também, que o modelo de intervenção de Thaler e Sustein conseguem produzir efeitos em grupos maiores e com menor esforço que o requerido pelo tipo de intervenção idealizado por Skinner.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Magalhães, T. de O. (2021). Behaviorismo Radical e Paternalismo Libertário: Uma Análise Epistemológica Comparativa. Revista Brasileira De Terapia Comportamental E Cognitiva, 23(1), 1-24. https://doi.org/10.31505/rbtcc.v23i1.1521
Seção
Seção Especial: Análise do Comp., Teoria dos Jogos e Economia Comportamental